Amigos e amigas. Novamente nos encontramos. Gosto de frases curtas. Mas não em demasia. Olha aí, já me empolguei, não era sobre isso que queria falar. Um recomeço:

Uma hora da manhã aqui e eu devo acordar amanhã cedo. Estudar, fazer esportes, essas coisas que dão orgulho depois de cinco anos. Será que consigo? Sinceramente administrar uma vida é demais pra mim. Acho o uó. Sou conhecida (por milhares e milhares de pessoas) por não gostar de tomar decisões; assim podendo culpar os demais a volta pelo que acontece. Então, reintero minha opinião.

Deuzulivre, começando que não sei estudar. Nunca soube, talvez nunca saberei. Quanto a minha área de estudo, esforços piadistas. Morro de rir todo dia. Perço mais claramente agora do que nunca minha inaptidão para a administração de uma vida. Se já tiver empresa fazendo isso tou contratando, viu? Não sei de nada; se quero estudar, se quero viajar, virar monja ou porralouca. Tanto menos como fazê-los. Assim mantenho essa vidinha nem de vitória nem de derrota. O gostoso é que não estou em posição de reclame, em meio a tantas vantagens sociais acumuladas. The Scream, 1893

Ainda assim. Há desgostos apenas humanos, que não conhecem raça nem classe nem. O que nos tornam irmãos, que fazem nos reconhecermos.

Aliás, ô saco a juventude, heim?! Acho super cansativo, juro. Essa coisa de ser jovial, ser feliz, de arrasar na balada. De chutar o balde, se jogar, curtir a vida. Sério, não dá pra sentar aqui e ler o jornal em paz? Só viver, quem sabe. Se a nossa juventude, tão jovem, estivesse mesmo buscando quebra de regras começaria com as suas próprias; mas qual, colega. Acho que não sirvo pra jovem também.

Nude by Wicker Chair, 1929De resto, passo o dia pensando em como “transcrever a toda a cultura sueca para brasileiro ver em posts interessantes”. Mesmo. Altas horas imaginando quais assuntos, do que tirar fotos (sim, elas virão, mas a minha maneira). Já pensei em fazer uma séria de entrevistas. Visitar o governo, etc, etc. Tudo por vocês, meu povo. Que, como vêem, não boto nada em prática. É isso, vivo de mãos atadas por cordas invisíveis. Tudo bem que cordas loiras, altas, mas ainda cordas.

 Ainda me guio pelo tempo brasileiro. Durmo tarde e acordo mais tarde ainda sempre que possível. Hoje me dei conta que assim nossos horários se aproximam. Preciso demitir o gerente, contratar uma dessas promessas prodígio do mercado.

Ah, me dei conta de uma outra coisa (relevante ou não, fica ao gosto do cliente). Não sei falar cu em inglês.

Anúncios